Total de visualizações de página

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Técnica pode ser usada como terapia complementar


          

Reconhecida

Hipnose ganha espaço em consultórios e hospitais

Hipnose ganha espaço em consultórios e hospitais Gonza Rodriguez/Arte ZH
Foto: Gonza Rodriguez / Arte ZH

Técnica pode ser usada como terapia complementar para áreas da medicina, psicologia, odontologia e fisioterapia

por Jaqueline Sordi   21/03/2015 | 06h02
 
Em uma tarde de domingo, no centro médico da Universidade de Tennessee, nos Estados Unidos, uma criança de cinco anos chega carregada por médicos, com diversas escoriações no corpo e uma perna quebrada. Chorando muito, ela conta que havia se acidentado em um triciclo. Pedindo alívio para a dor — e aguardando a chegada dos pais ao local —, recebe a notícia de que não poderia ser medicada antes de realizar uma bateria de exames.
Prontamente, a psicoterapeuta brasileira Lina Schlachter começa a perguntar para a menina sobre coisas de que ela gosta. Realiza movimentos circulares no rosto da garota, pede para que ela feche os olhos e, por meio da conversa, leva sua imaginação ao encantador mundo de Harry Potter, onde ela estaria voando com uma vassoura sobre locais agradáveis, sentindo-se confiante e feliz. A criança começa a relaxar o rosto, diminui as feições de dor e para de chorar. Em poucos minutos, ela se diz tranquila e recebe os pais, que chegam logo depois, com um sorriso no rosto.

A situação, que ocorreu em 2009, não causou estranhamento aos médicos, já acostumados ao procedimento. Lina submeteu a paciente a um estado hipnótico, método em que um especialista sugere mudanças nas sensações e percepções, alterando as capacidades sensoriais e motoras.
Já muito popular nos Estados Unidos e na Europa, a hipnose vem conquistando espaço também no Brasil. Nos últimos anos, passou a ser reconhecida como terapia auxiliar pelos conselhos de psicologia, medicina, odontologia e fisioterapia, e começou a ser praticada em hospitais e consultórios.
Doutora em psicologia pela Universidade de Tennessee, Lina relata que utilizou a técnica trabalhando na emergência de um hospital norte-americano, ajudando pessoas com traumas severos a se "distrair" da dor que sentiam.
— Os resultados costumam ser benéficos, mas isso depende da suscetibilidade de cada um à hipnose — explica a especialista.
Usada há milênios para diferentes finalidades, a técnica foi associada à magia e ao curandeirismo durante muito tempo e se tornou até atração de circo. Foi a partir do século 19 que a hipnose começou a ganhar popularidade no meio acadêmico, sendo fundamental para que Sigmund Freud elaborasse, por exemplo, sua teoria sobre o inconsciente.
Estudos científicos demonstraram a forma como a técnica atua no cérebro e, assim, ela passou a ser aceita e difundida como um tratamento complementar para diferentes finalidades, que vão desde a redução de dores crônicas ou agudas, transtorno do pânico, fobias e insônia, até sedação de dor em procedimentos dentários.

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br/rs/vida-e-estilo/vida/noticia/2015/03/hipnose-ganha-espaco-em-consultorios-e-hospitais-4722768.html
 

segunda-feira, 30 de março de 2015

Stress, como evitar e controlar?



Aflição, agonia, impaciência, inquietação. Esses são alguns sinais da ansiedade, sentimento capaz de prejudicar a qualidade de vida, autoestima e saúde do ser humano.

Aprender a lidar com ela é fundamental para garantir uma vida saudável. E para isso, é preciso entender os seus mecanismos.

"A ansiedade é uma excitação do sistema nervoso central, que acelera o funcionamento do corpo e da mente. Quando estamos ansiosos, liberamos o neurotransmissor noradrenalina, que provoca toda essa excitação. É um processo que pode ser tanto hereditário como adquirido através das experiências que temos nos ambientes mais hostis. A ansiedade está intimamente vinculada à forma como interpretamos as situações da vida", explica a psicóloga Sâmia Aguiar Brandão Simurro, de São Paulo (SP), que é vice-presidente de Projetos e Expansão da Associação Brasileira de Qualidade de Vida (ABQV).

Qualquer um sofre, em maior ou menor grau, de ansiedade. Mas o transtorno merece atenção redobrada quando passa a prejudicar os relacionamentos conjugais, profissionais, acadêmicos e até mesmo sexuais.

"Quando a ansiedade ultrapassa o limite e a pessoa não consegue mais realizar suas tarefas diárias sem sofrimento, é hora de buscar ajuda especializada e dar início a um tratamento", explica a psicóloga Sâmia Simurro.

Como posso me ajudar?

1 - Saiba quais são os seus reais problemas e as origens do nervosismo. A única forma de combater o inimigo é conhecendo-o bem, portanto, pare e reflita sobre as suas maiores angústias, tornando mais fácil o término das mesmas.

2 - Após a reflexão sobre os reais problemas da sua vida, e depois de ter até mesmo listado os empecilhos diários, pense em como evitar cada maleficio da sua rotina. Comece ajustando a sua vida desde já! Não deixe nada para depois, caso contrário você causará maior ansiedade para resolver as tarefas determinadas.

3 - A lista também é uma forma de organizar o seu dia a dia, ajudando a otimizar o seu tempo e tornando a sua vida mais produtiva. Liste tudo o que tiver que fazer na semana, separando em dias e horários possíveis para a sua rotina, mesmo alguns detalhes saiam do seu controle, saber como será a sua semana resultará em maior tranquilidade.

4 - Liste as três tarefas mais importantes e foque nelas. Assim, fica mais fácil cumprir o que realmente é relevante, deixando as obrigações menores para depois. A sensação de dever cumprido ajudará a diminuir o stress.

5 - Quando programar o seu dia a dia, faça de forma confortável para a sua vida. Nada de tentar ser multitarefa, já que ao invés de conquistar produtividade, você vai aumentar o seu stress e não conseguirá se concentrar 100% em nenhuma atividade.

6 - Por mais que a sua rotina seja de correria, busque desacelerar em vários períodos do seu dia. Sempre que puder, dê uma volta, respire profundamente, lave o rosto, beba uma água, enfim, diminua a agitação.

7 - Procure sair do cotidiano cansativo, faça sempre aquilo que contribui para o seu bem estar, dedique-se aos seus hobbies, seja feliz! Escute uma música boa, leia um livro que goste, assista a um filme, faça programas com os amigos e familiares, vá ao cinema, saia para jantar ou simplesmente faça uma comida diferente em casa, dedique-se a você mesmo.

8 - Tenha um ambiente que te cause paz, mandando o stress para longe. Mantenha um espaço com plantas, que atraia passarinhos, com uma música gostosa de ouvir, com um lugar para você ficar em sua própria companhia.

9 - Mantenha em sua vida pessoas positivas, que conseguem ver o lado bom dos empecilhos e que possam transmitir paz a você. Todo mundo tem seus dias difíceis, isso é normal, mas convenhamos que existem algumas companhias que parecem viver sempre no mal humor.

10 - Ajude o próximo, estenda a mão para uma pessoa ou um animal, pratique a solidariedade, essas atitudes ajudam mais os doadores que os recebedores. Encontre um sentido na sua vida, mas não encare as suas contribuições como obrigações.

11 - Procure agradecer mais que pedir, pense em todas as coisas boas da sua vida, nas pessoas que te fazem bem, e agradeça pela benção que é estar vivo. Acorde e sinta-se grato por poder viver mais um dia, com certeza, você se sentirá mais feliz e mandará o stress para longe.

Siga todas essas dicas, foque no que te faz bem, e a felicidade será uma consequência inevitável.



Fonte:
http://mulher.uol.com.br/comportamento/noticias/redacao/2011/05/17/ansiedade-e-o-pior-de-todos-os-males-psicologicos-diz-especialista.htm

http://praticassaudaveis.com/stresscomo-evitar/