Total de visualizações de página

quarta-feira, 12 de agosto de 2015

Doença Psicossomática

 
                                                      

Entenda rapidamente como simples gestos, palavras, sentimentos, pensamentos podem estar ajudando você a "gerar" está doença sem perceber.

Doença psicossomática significa: " Presença de alterações clínicas detectáveis por exames de laboratório, ou seja, o corpo da pessoa apresenta danos físicos. É uma doença orgânica, mas com causa psicológica. Em situações de forte estresse emocional o corpo reage como que “informando” que algo não está bem."

Esta doença  já vem sendo estudada desde o início do século XX.

Nos acompanhamentos e estudos,   observou-se que os pacientes sinalizavam que esta ligação mente-corpo estava gerando um conflito enorme, chegando ao extremo da dependência  (remédios, drogas, bebidas), doenças crônicas e, na maioria das vezes, não alcançando a cura ideal.

Observou-se, também, que as doenças surgiram por uma alteração orgânica gerada pelo psicológico do indivíduo, ou seja,  pelo  armazenamento de sentimentos , palavras e pensamentos negativos vindo do meio familiar ou social  onde viviam .

Algumas doenças que podem ser geradas - pressão alta, infarto, gastrite, úlcera, doenças de pele, enxaquecas, dores musculares, anorexia, renite, obesidade, depressão, dentre outras.

Agora, observe em você como está o processo entre a sua mente e corpo...
Está existindo algum conflito?
Estou sabendo controlar, resolver?

                                             Cuide-se!

Valorize-se !

" A maior conquista da vida é estar em PAZ!"


Referências - www.marisapsicologa.com.brwww.iaradocarmo.com.br

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

A sua FELICIDADE depende só de...

A sua FELICIDADE depende só de...


                                                                                     


Entenda quais são as suas ansiedades, dificuldades e transforme tudo em tranquilidade, confiança, esperança...BEM-ESTAR!

 

Conheça a HIPNOSE CONDICIONATIVA e VIVA MELHOR !

(48) 9906 7182



Gravura - http://pt.123rf.com/clipart-vetores/dedo.html

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Uma busca incansável ...

 
 
Hipnose Condicionativa - Terapia Alternativa

domingo, 26 de julho de 2015

Equilíbrio...

Estamos sempre sendo pressionados entre o lado emocional e o racional...
Como conciliar? Como tomar a decisão certa? O que faço para manter o equilíbrio e me sentir bem?

O autoconhecimento é o primeiro passo!

Entenda quem você é realmente ... Encontre seu limite e o que deve fazer para manter o equilíbrio e viver melhor.

                          A Hipnose Condicionativa  ajuda você a encontrar novos caminhos!

                                             Entre em contato e tire suas dúvidas.
                                                              (48) 9906 7182
                                                         

sexta-feira, 24 de julho de 2015


 
A Hipnose Condicionativa ajuda você a encontrar a melhor forma de viver e conviver !
Entre em contato - (48) 9906 7182

domingo, 19 de julho de 2015

Pratique o perdão e liberte-se

Pratique o perdão e liberte-se

A Hipnose Condicionativa pode auxilar você nessa mudança !

 
 
Desde criança, somos educados com alguns princípios básicos da boa educação como pedir licença, dizer por favor, agradecer. Também, muitas vezes, ouvimos de nossos pais ou dos mais velhos em geral que devemos pedir desculpas a alguém que pudéssemos ter feito algo: “peça desculpas!”. E, assim, crescemos aprendendo a como se portar de forma educada em meio às situações.
Porém muito pouco, pra não dizer raro, nos é ensinado a como lidar com essas situações internamente, isto é, quando essas situações envolvem os nossos sentimentos e emoções, principalmente quanto ao ato de pedir desculpas. Na medida em que vamos ficando mais crescidinhos e compreendendo a “vida real”, o pedir desculpas não parece mais algo tão simples e, então, deparamo-nos com o perdão – “perdoar ou não perdoar, essa é a questão” – e das problemáticas que o envolve em nossa vida.

Não somos ensinados a lidar com situações que envolvem os nossos sentimentos e emoções.

Perdoar é um ato, mental ou emocional (espiritual eu ainda diria), de acabar com o ressentimento, raiva ou mágoa quanto a uma outra pessoa. O ato de perdoar pressupõe que alguém nos tenha feito algo que tenha nos magoado profundamente, como uma traição, um erro ou fracasso (muitas vezes, de nós mesmos) e que estamos direcionando uma culpa, uma punição.
Porém, na teoria, perdoar parece muito mais fácil do que é de fato. O ser humano, devido ao seu ego, comumente desenvolve um orgulho exacerbado frente a sua vida e às situações pelas quais passa, portanto, perdoar exige um esforço muito, muito grande. Tentar perdoar, em um primeiro momento, é muito doloroso e envolve a pessoa em um misto de sentimentos que só trazem prejuízos para a saúde mental e emocional. Perdoar é se igualar ao outro, é amá-lo incondicionalmente, e isso para o ego é quase impossível, quando cego pelo orgulho irracional.

Guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra.

Com o tempo, por mais que nosso ego nos diga que aquela pessoa não merece nosso perdão por ter feito algo de tão ruim e impossível de relevar, vamos experimentando um gosto amargo do próprio ressentimento que vamos alimentando. Conforme uma frase bem esclarecedora de Nelson Mandela: “guardar ressentimento é como tomar veneno e esperar que a outra pessoa morra”.
O que muitas vezes não paramos pra pensar é que o perdão é algo que acontece muito mais dentro da gente do que qualquer outra coisa que possamos projetar sobre o perdão. O perdão não é sobre decidir se a outra pessoa merece ou não o nosso julgamento, se a pessoa está correta ou não. O perdão é muito mais do que isso. O perdão significa a nossa própria liberdade! O fato de não perdoar faz com que criemos uma prisão a nossa volta e somente quem sai prejudicado somos nós, ninguém mais. Afinal, não é à toa que em Aramaico, a palavra perdão significa literalmente “desvencilhar-se”.
Novamente, o grande Nelson Mandela brilhantemente nos presenteia com uma frase sua: “quando eu saí em direção ao portão que me levava à liberdade, sabia que, se não deixasse minha amargura e meu ódio para trás, ainda estaria na prisão”. Portanto, que conclusões tirar a partir disso? Perdoar não é fácil, mas é possível sim e muitas vezes exige passos mais simples do que projetamos que realmente sejam.

A libertação depende de uma atitude de nossa parte e de mais ninguém.

Por mais que não seja necessário voltar a conviver com quem causou o desafeto, por mais difícil que seja esquecer de tudo, o perdão deve vir do coração e da alma, deve ser sincero, deve ser generoso. E, assim, ele nos livra do fel que derramamos em nosso próprio ser, livra-nos das amarras que nós mesmos criamos, que nos prendia a algo, a alguém, a uma situação que roubou a nossa paz interior. Perdoar pressupõe o amadurecimento de entender que nada fará apagar o que aconteceu, mas a libertação frente ao ocorrido depende de uma atitude de nossa parte e de mais ninguém.
Por isso, perdoar, antes de tudo, é se perdoar. É entender que não precisamos mais suportar algo que não precisa nos pertencer. São situações que acontecem e devemos encará-las como aprendizados, como direcionadoras de nossas relações, como formas de nos auto-descobrirmos e entendermos as nossas verdadeiras fragilidades. Pois, muitas vezes, aquilo que nos incomoda no outro é puro reflexo do que está em nós mesmos.
Não ser capaz de autoperdoar-se é não respeitarmos a nossa condição humana, uma vez que erros são normais, o problema são as exigências duras e severas que nos autoimpomos. Errar é humano e perdoar é divino. E isso não significa que somente sejam capazes do perdão seres de grande evolução. Qualquer um possui a sua própria divindade interior e é ela quem irá atuar em prol do perdão, seja aos outros ou a nós mesmos.

Perdoar é ganhar uma disputa que travamos conosco mesmo.

E como saber que realmente conseguimos perdoar? O perdão é um sentimento e sentimentos, muitas vezes, não possuem verbalizações suficientes para que possam ser explicados. Perdão é um sentimento puro que deixa um rastro de alívio, de relaxamento, de paz interior, de consciência leve e um coração feliz. Perdoar é cessar um sofrimento, é um caminho para o auto-conhecimento, de saber das próprias possibilidades e reconhecê-las como importantes e capazes de tudo.
Perdoar é voltar para casa, para a morada do nosso ser, onde podemos encontrar a verdadeira felicidade. Perdoar é ganhar uma disputa que travamos conosco mesmo. Perdoar é alcançar a vitória: a vitória com o nosso próprio interior.

Para sair um pouco da teoria e ajudar de forma prática a quem precisa exercitar o perdão, abaixo relacionamos algumas dicas e passos de como começar a praticar o perdão:

– O ódio e ressentimento são criados por nós mesmos e, muitas vezes, nem afetam a pessoa que é “alvo” de nossos desafetos. Entenda de que modo você mesmo cria os pensamentos e sentimentos e comece, pouco a pouco, a se libertar deles;
– Vingança não leva a nada e só fará com que você atraia ainda mais sofrimento para a sua vida. O melhor que você pode fazer, para si mesmo e pelo outro, é seguir adiante de cabeça erguida, paz no coração e sorriso no rosto;
– Compreensão e compaixão estão intimamente ligadas. Compreenda por que tudo aconteceu, entenda que aquilo que você julga errado pode ter mais relação sobre quem você é do que de fato algo que a pessoa fez. E, então, tenha compaixão pela situação e pelo outro, e até por si mesmo. Errar é humano e perdoar é divino, portanto, exerça a sua divindade. Transforme o que é ruim em algo bom, você é capaz disso! E quando você menos esperar, sua vida será abençoada com prosperidade. Semelhante atrai semelhante, não esqueça disso;
– Mude a perspectiva com que você enxerga as situações. Pare de focar no lado negativo das coisas e passe a focar no lado positivo. Todo acontecimento traz consigo um aprendizado e, geralmente, ele serve como um direcionador para a nossa vida, seja nas situações, seja nas relações, seja frente a nós mesmos. Liste as mudanças para melhor que aconteceram na sua vida após o desafeto ocorrido;
– Acima de tudo, use o perdão com sabedoria. Perdoar não significa ser conivente nem abandonar os seus princípios de vida. Perdoar é também exercer o respeito, principalmente a si mesmo. Como já comentamos, perdoar é um sentimento. Portanto, saiba diferenciar o que está ocorrendo no seu interior, como seu coração se sente, e então você estará conseguindo praticar o perdão de forma sábia e verdadeira.

____
Escrito por Juliana Xavier via Eu vegetariano e Viva Mais Verde

Fonte - http://thesecret.tv.br/2015/04/pratique-o-perdao-e-liberte-se/
 

sábado, 4 de julho de 2015


 
 
 
HIPNOSE

 

Nos achados da Antiguidade, encontra-se textos, com mais de 4.500 anos, que nos relata como os sacerdotes da Mesopotâmia, usavam o Transe - um estado diferenciado da consciência usual - para realizar diagnósticos objetivando curas. Podemos considerar esses registros como sendo os mais antigos documentos a citarem o transe em sua função terapêutica, um hábito comum à diversas culturas naturalistas.

 No século XIX, ao pesquisar esse procedimento, o Dr. James Braid denominaria a esta ciência o nome de HIPNOSE. O nome escolhido advêm de Hypnos - deus grego do sono - e foi escolhido pelo Dr. Braid devido à semelhança do estado de transe com o estado de sonolência. Vemos assim, que desde seu surgimento, a Hipnose sempre esteve vinculada à busca da cura e é neste sentido que a ciência médica atual pesquisa não só a extensão que se pode obter com o seu emprego, como também as respostas de como e porque o cérebro processa o estado hipnótico.

A hipnose clínica pode ajudá-lo(a) a:

Reconhecer causas dos comportamentos desajustados e alterá-los;

 Reconhecer soluções em si para superar as dificuldades;

 Preparar-se para lidar com os problemas;

 Alterar crenças/conceitos e autoimagem desajustados ao seu bem-estar;

 Desfazer bloqueios inconscientes;

 Relaxar e descontrair, física e mentalmente;

 Aumentar o seu desenvolvimento pessoal e autoconhecimento;

 Melhorar a sua qualidade de vida.

” A MENTE HUMANA NÃO É FÍSICA, OS REGISTROS MENTAIS NELA CONTIDA SÃO APENAS E SIMPLESMENTE “ENERGIA”, QUE COMBINADAS, GERAM OS SENTIMENTOS, EMOÇÕES, PENSAMENTOS, ATITUDES, ETC., CULMINANDO EM ESTÍMULOS E AÇÕES FISIOLÓGICAS, METABÓLICAS, DE MOBILIDADE E COMPORTAMENTO.”

Luiz Carlos Crozera

Mais informações -

daniellaterbeck@gmail.com
(48) 9906 7182 

Fonte gravura -
http://www.bing.com/images/search?q=hipnose&view=detailv2&&&id=3771F2EBDA069EE827F4D055684B73F28B0E299A&selectedIndex=30&ccid=%2bvEJTFHG&simid=607988965384389070&thid=JN.4Ss0tkxZ5aVV5m4Fl%2fHK4A&ajaxhist=0

segunda-feira, 8 de junho de 2015

O que é Hipnose Condicionativa?

 

Algumas pessoas me perguntam o que é realmente a  Hipnose Condicionativa e o que ela tem que difere das outras técnicas?

 

Bem, para não deixar dúvida, encontrei uma entrevista do pesquisador e criador da Hipnose Condicionativa, Professor Luiz Carlos Crozera.

 

Espero que consiga tirar algumas dúvidas!!!

 
 
 
 
video
 
Mais informações
 
(48) 9906 7182
 
 
 

sexta-feira, 5 de junho de 2015

 
 
 
 "Quem espera que a vida
Seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco
Ou morrer na solidão
É preciso ter cuidado
Pra mais tarde não sofrer
É preciso saber viver

Toda pedra do caminho
Você pode retirar
Numa flor que tem espinhos
Você pode se arranhar
Se o bem e o mal existem
Você pode escolher
É preciso saber viver..."
                                              (Roberto e Eramos Carlos)
 
Esta semana, numa atividade na escola, me deparei com a música acima e, desde então, não saiu da minha cabeça.
 
O seu significado é muito profundo e nos dá a possibilidade de refletirmos sobre as nossas ações, problemas, inseguranças ...
 
Temos tantas "pedras" em nosso caminho e, na maioria das vezes, não somos fortes o suficiente para retirá-las.
 
Somos massacrados por "regras" impostas pela sociedade que esquecemos da essência de SERMOS e não só TERMOS.
 
Somos "tentados" a olhar sempre para a flor mais linda, mas, quando menos esperamos, os "espinhos" estão nos ferindo, nos magoando.
 
Quanto mais percebemos quem somos e onde queremos chegar, vamos nos desprendendo do falso mundo que nos rodeia.
 
                                        Procure viver com simplicidade e  harmonia !
                                   
                                     A riqueza humana está em nossas ações em equilíbrio!
 
 
                                    A Hipnose Condicionativa ajudará você nesse equilíbrio.
 
 
Informe-se:
(48) 9906 7182
 
daniellasergio.terapiaholistica.net
 
 
 
 



sexta-feira, 29 de maio de 2015

Promova  seu BEM-ESTAR !

 

Quando você entender que pode viver sem o "olhar do outro"...

 Quando você entender que é forte para mudanças...

Quando você comprometer-se com sua FELICIDADE...

 
 
 
 

 

Você encontrará a PAZ interior e viverá melhor!

 

Por isso,  invista em você e experimente a Hipnose Condicionativa.

Informações - 48 9906 7182
 
 
Pesquise
daniellasergio.terapiaholistica.net
https://plus.google.com/103238098918342818822/posts
 

domingo, 24 de maio de 2015

Supere-se !


Nem sempre seus sonhos são compreendidos pelas pessoas com quem você convive...

Nem sempre você consegue explicar seus sonhos ...

Mas acredite que quem pode realizá-lo é somente você ... os outros são apenas coadjuvantes...

Vá em frente ... tente ...persista... SUPERE-SE ...

Desprenda-se de todos os pensamentos negativos.

Conquiste o seu bem estar.

Ótima semana!

 

Hipnoterapia - Terapia Complementar

 
 
 

sexta-feira, 22 de maio de 2015

Amigos ...



Ontem fui presenteada por um querido colega de trabalho.

Ganhei ingressos para participar de uma palestra...

... Mas o que me deixou mais "FILIZ",  foi o carinho, a preocupação em ser lembrada e, principalmente, ser sensível em saber que aquele tema seria de meu interesse, que eu gostaria de estar presente.

Muitas vezes nos sentimos só, mas acreditem, neste "mundão" sempre tem alguém ( e que nem imaginamos) olhando para você de uma maneira especial!!!!

Obrigadu, valeu!


segunda-feira, 18 de maio de 2015

Insônia, o mal do cotidiano: saiba como tratar a insônia por meio da Hipnose clínica condicionativa.

Luiz Carlos Crozera - Hipnólogo
 

São grandes os impactos negativos das noites mal (ou não) dormidas na saúde e no desempenho das atividades diárias. Saiba como tratar a insônia de maneira definitiva.

como tratar a insônia

Cerca de 30% da população sofre do distúrbio do sono. As mulheres são a maioria desse grupo. A insônia, conforme a duração, pode ser classificada como aguda ou crônica, mas ambas afetam o rendimento profissional e a qualidade de vida. Daí a necessidade se buscar mais possibilidades e informações sobre como tratar a insônia de maneira mais eficaz.

Para qualquer ser humano conseguir dormir é necessário neutralizar os níveis de ansiedade, que normalmente é feito automaticamente pela memória, quando não se consegue neutralizar a ansiedade durante a noite de sono, temos a insônia.

A insônia aguda tem a duração média de uma semana, é passageira, motivada por problemas isolados como o estresse, sentimento de perdas e fracassos, morte de alguém próximo, preocupações, entre outras. Enquanto que a insônia crônica tem duração de meses, onde as principais causas são: depressão, problemas físicos, psiquiátricos, psicossomáticos, dependência de calmantes e antidepressivos.

Como tratar a insônia ? A insônia também pode ser classificada com relação às condições do sono:

 

Insônia inicial: quando a pessoa demora mais que 30 minutos para dormir; 

Insônia intermediária: aquela que a pessoa acorda várias vezes durante a noite;


Insônia terminal: quando a pessoa normalmente acorda bem mais cedo que de costume.



como tratar a insônia As conseqüências de sucessivas noites mal dormidas são: fadiga, transtornos de humor, baixa de atenção, concentração e memória, irritabilidade, sonolência excessiva diurna, acidentes de trabalho ou trânsito, cefaléias, tensão, sintomas gastrintestinais, entre outros.

O sono fisiológico é necessário e importante para a saúde física e mental. Além de descansar todo organismo, no sono são processadas todas as informações captadas pelos órgãos dos sentidos durante o dia, tudo é arquivado na memória. O processo da organização desses registros mentais desencadeia os sonhos e pesadelos. É importante salientar que aproximadamente 20% de tudo que nossos órgãos dos sentidos captam (visão, audição, paladar, tato e olfato), durante o estado de vigília, são arquivados no nível consciente e 80% entram na mente de forma subliminar, imperceptíveis do nível consciente.

 

Quer saber mais? Leia toda a matéria em: 

Encontre um hipnólogo próximo de você e tire suas dúvidas!



 
 

Hipnoterapia - Terapia Natural

domingo, 17 de maio de 2015


1a Jornada Internacional de Hipnose Clínica e Hipnoanálise.

Entrevista com Dr. ALberto Lopes - Hipnose Clínica


video



Publicado em 6 de out de 2014
Alberto Lopes, presidente da Associação Portuguesa de Hipnose Clínica e Hipnoanálise conversa com Fátima Araújo no âmbito das vantagens do uso da hipnose clínica e das 1as Jornadas Internacionais de Hipnose Clínica e Hipnoanálise.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Dependência Química X Hipnose Condicionativa

HIPNOSE CONDICIONATIVA REVOLUCIONA

                                                   TRATAMENTO DE DROGA DEPENDÊNCIA

 
 
 
Entrevista com Prof. Luiz Carlos Crozera

Como classificar os casos de drogadição?

Prof. Crozera Sigo quatro parâmetros básicos para determinar níveis dos drogaditos, são eles:
 
1)Drogaditos eventuais
- São aqueles que possuem tendências a serem portadores do “vício”, nunca compraram a droga, “filam” apenas ou compartilham a mesma droga com outras pessoas. A droga ainda não faz parte efetiva da sua vida.

2) Drogaditos de Primeiro Grau
- São aqueles que compram suas drogas, acabando, não entram no processo de ansiedade para comprar outra. Ainda não condicionaram o ato de usar a droga com alguma atividade diária. Simplesmente usam para relaxar, esporadicamente. Nesses casos, as pessoas ainda conseguem parar por conta própria, quando quiserem, mas podem retornar ao vício facilmente, principalmente quando recebem pressão psicológica ou situações estressoras.
 
3) Drogaditos de Segundo Grau
- São aqueles que possuem certa dependência, compram suas drogas, quando estiver no final, correm para comprar outra, evitando ficar sem a droga por perto. Nesse estágio, a pessoa é um dependente da droga, seu uso está condicionado antes, durante ou depois de uma atividade diária ou um horário específico. Quando estiver sem a droga, entra em num leve processo de ansiedade, mas controlado. Nesses casos, as pessoas, para deixarem do vício definitivamente encontram certas resistências, ainda conseguem parar com muita força de vontade, possuindo tendências para voltar utilizá-la novamente, sob qualquer pressão ou estresse.
 
4) Drogaditos de Terceiro Grau.
- São aqueles cuja dependência é total, uma pequena quantidade não é mais suficiente durante o dia, sempre estará com uma quantidade reservada, seu estado psicológico fica alterado quando está sem a droga por perto, pode se tornar nervoso, até agressivo e violento, entra em processo de mau humor facilmente, pode ter hiperidrose (transpiração excessiva), tremores, palpitações cardíacas, insônia, falta de ar. É compulsivo, necessita da droga até para estimular sua digestão e suas necessidades fisiológicas, acorda, às vezes, à noite para consumi-la. Normalmente mascara sua ansiedade, diz que é relaxante e prazeroso (claro que é um disfarce psicológico, uma fuga). Após estar anos nesse estágio o drogadito gostaria de largar sua dependência, infelizmente não consegue sozinho, possuem receio de sofrer, entram facilmente em abstinência, chegam a roubar e até matar para sustentar o vício, naturalmente, precisará de tratamento intensivo e cuidados especiais.
 
 
Como as técnicas da Hipnose Condicionativa podem ajudar os dependentes químicos?
Prof. Crozera Posso citar diversos benefícios, como:
 
- TRATA QUALQUER TIPO DE DEPENDÊNCIA QUÍMICA, TRABALHANDO DIRETAMENTE AS CAUSAS EMOCIONAIS DO PROBLEMA, PARA REVERTER OS SINTOMAS.

- NÃO NECESSITA RECURSOS ADICIONAIS, NEM DE FÁRMACOS OU QUÍMICOS.
- PODE SER EMPREGADA DE FORMA PREVENTIVA.

- SEM NECESSIDADE DE INTERNAÇÃO E/OU ISOLAMENTO.

- PACIENTE FICA MAIS PARTICIPATIVO E COLABORATIVO AO TRATAMENTO.


- QUANDO EXISTIREM FATORES GENÉTICOS E/OU HEREDITÁRIOS, ASSIM COMO OS SOMÁTICOS, TODOS SÃO TRATADOS.
 
- ATUA NO PREPARO E REINTEGRAÇÃO DO INDIVÍDUO NA SOCIEDADE.

- GERA REAÇÕES COMPORTAMENTAIS POSITIVAS PERANTE INFLUÊNCIAS NEGATIVAS DO MEIO, EVITANDO RECAÍDAS FRENTE ÀS PRESSÕES PSICOLÓGICAS.

- IMPLANTA-SE NA MEMÓRIA CONDICIONAMENTOS VOLTADOS A AVERSÃO E REJEIÇÃO DAS DROGAS E ALCOOLISMO.

- AUTOCONTROLE NAS CRISES DE ABSTINÊNCIAS E COMPULSÕES.

- ELEVAÇÃO DA AUTO-ESTIMA E AUTOCONTROLE DOS NÍVEIS DE ANSIEDADE, NAS MAIS VARIADAS SITUAÇÕES.


- ACELERA O PROCESSO DE DESINTOXICAÇÃO DO ORGANISMO.

- MOTIVAÇÃO GERAL PARA A VIDA E ATIVIDADES EDUCATIVAS E PROFISSIONAIS.


- AMPLIA A EXPECTATIVA DE VIDA.
 
- MELHORA EM TODOS OS NÍVEIS DE RELACIONAMENTOS, TANTO FAMILIAR, COMO SOCIAL OU NO TRABALHO E ESTUDOS.
 
Leia a reportagem completa em:

 http://www.institutohipnologia.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=123:dependencia-quimica-x-hipnose-condicionativa&catid=3:artigos-sobre-hipnose&Itemid=10

 

             Hipnoterapia - Terapia Alternativa

                             (48) 9906 7182

quarta-feira, 6 de maio de 2015


Alguém sabe em qual lugar posso

encontrar a  FELICIDADE?




 

Hipnoterapia - Terapia Alternativa




segunda-feira, 4 de maio de 2015

Jovens buscam hipnose para ajudar na concentração nos estudos.

 

Aos 20 anos, jovem de MS quer cursar medicina e fará prova pela 4ª vez.
Marcada por mitos, técnica pode ser usada para solucionar problemas.

Ricardo Campos Jr. Do G1 MS
Melhora da concentração e redução da ansiedade eram problemas que a estudante Elisane Dias Maciel, 20 anos, tinha que corrigir antes de prestar o Exame Nacional do Ensino Médio pela quarta vez. Há três semanas, ela tem feito sessões de hipnose e aposta na técnica, aliada com uma rotina de estudos, para conseguir aprovação em medicina.
  
“Eu fui em busca disso, de obter um autocontrole para a minha compulsividade e ansiedade. Está me ajudando bastante”, conta.

O mito envolvendo a hipnose, geralmente associada a espetáculos em que as pessoas são deixadas em transe para a diversão da plateia, deixou a jovem receosa em recorrer à técnica. “Fiquei meio 'assim'. Não se ouve muito. É muito mistificada”, relata.

No entanto, depois de procurar mais informações sobre o uso terapêutico da técnica, experimentou e aprovou. “É uma reprogramação. Eu fui atrás para ver como funcionava. Nada mais é do que sessões de relaxamento para a gente se autoconhecer”, afirma.

Além de recomendar a outros estudantes que estejam passando pelos mesmos problemas relacionados a estudos, ela dá uma dica sobre a procura pelo serviço. “Tem que confiar no profissional e buscar informação sobre ele. Não é qualquer pessoa que pode fazer hipnose”.

Rodrigo Merjan diz que hipnoterapia pode resolver vários problemas (Foto: Ricardo Campos Jr. / G1 MS)Merjan diz que hipnoterapia pode resolver vários
problemas (Foto: Ricardo Campos Jr. / G1 MS)
 
Entre o mito e a técnica
O psicólogo e hipnoterapeuta Rodrigo Merjam, que atende Elisane, explica que os benefícios da técnica vão além da aprovação em concursos e vestibulares. “Obesidade, pessoas com dificuldades para emagrecer, fobias, ansiedade, medo, depressão”, relata.

Segundo ele, a formação do profissional para aplicar a hipnose envolve uma série de cursos que não exigem do interessado uma graduação específica.

“Temos alguns especialistas dentro de algumas áreas que se envolvem com a hipnose. Tem vários cursos. No Brasil, os melhores estão em São Paulo. Eu acredito que assim como a gente nunca está pronto enquanto psicólogo, nós nunca paramos de aprender”, diz.

O mito ainda faz parte dos profissionais que lidam com essa técnica quando o assunto é atrair clientes. “Eu acredito que o preconceito tem diminuído bastante. É mais uma falta de divulgação”, pondera.

Ainda assim, em Mato Grosso do Sul, trata-se de um método terapêutico ainda em desenvolvimento.
“Eu acho que em nosso estado é uma coisa principiante, está começando. São Paulo é de longe o mais avançado em relação à quantidade e profundidade de institutos de hipnose. Se você for analisar no mundo, como terapêutica, a hipnose tem evoluido muito. Voce tem países como Portugal, Inglaterra, que têm usado a técnica da hipnose e também da programação neurolinguística como forma de acelerar os processos e diminuir o tempo em que a pessoa fica insatisfeita com a situação dela”, conclui.
Elisane diz que hipnoterapia foi um bom reforço nos estudos e que a ajudará a fazer o Enem mais tranquila (Foto: Ricardo Campos Jr. / G1 MS)
Elisane diz que hipnoterapia foi um bom reforço nos estudos e que a ajudará a fazer o Enem mais tranquila (Foto: Ricardo Campos Jr. / G1 MS)
 

Daniella Sergio

Hipnoterapeuta Condicionativa - Terapia Alternativa

(48) 9906 7182

 

Fontes -
 
 

Por que as crianças francesas não têm Déficit de Atenção?

déficit atenção crianças

Déficit de Atenção em crianças francesas é inferior a 0,5% (Foto: Ilustração)

Como é que a epidemia do Déficit de Atenção, que tornou-se firmemente estabelecida em vários países do mundo, foi quase completamente desconsidera da com relação a crianças na França?

por Marilyn Wedge, em Psichology Today Tradução: Equilibrando
 
Nos Estados Unidos, pelo menos 9% das crianças em idade escolar foram diagnosticadas com TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade), e estão sendo tratadas com medicamentos. Na França, a percentagem de crianças diagnosticadas e medicadas para o TDAH é inferior a 0,5%. Como é que a epidemia de TDAH, que tornou-se firmemente estabelecida nos Estados Unidos, foi quase completamente desconsiderada com relação a crianças na França?
 
TDAH é um transtorno biológico-neurológico? Surpreendentemente, a resposta a esta pergunta depende do fato de você morar na França ou nos Estados Unidos. Nos Estados Unidos, os psiquiatras pediátricos consideram o TDAH como um distúrbio biológico, com causas biológicas. O tratamento de escolha também é biológico – medicamentos estimulantes psíquicos, tais como Ritalina e Adderall.
 
Os psiquiatras infantis franceses, por outro lado, vêem o TDAH como uma condição médica que tem causas psico-sociais e situacionais. Em vez de tratar os problemas de concentração e de comportamento com drogas, os médicos franceses preferem avaliar o problema subjacente que está causando o sofrimento da criança; não o cérebro da criança, mas o contexto social da criança. Eles, então, optam por tratar o problema do contexto social subjacente com psicoterapia ou aconselhamento familiar. Esta é uma maneira muito diferente de ver as coisas, comparada à tendência americana de atribuir todos os sintomas de uma disfunção biológica a um desequilíbrio químico no cérebro da criança.
 
Os psiquiatras infantis franceses não usam o mesmo sistema de classificação de problemas emocionais infantis utilizado pelos psiquiatras americanos. Eles não usam o Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders ou DSM. De acordo com o sociólogo Manuel Vallee, a Federação Francesa de Psiquiatria desenvolveu um sistema de classificação alternativa, como uma resistência à influência do DSM-3. Esta alternativa foi a CFTMEA (Classification Française des Troubles Mentaux de L’Enfant et de L’Adolescent), lançado pela primeira vez em 1983, e atualizado em 1988 e 2000. O foco do CFTMEA está em identificar e tratar as causas psicossociais subjacentes aos sintomas das crianças, e não em encontrar os melhores bandaids farmacológicos para mascarar os sintomas.
 
Na medida em que os médicos franceses são bem sucedidos em encontrar e reparar o que estava errado no contexto social da criança, menos crianças se enquadram no diagnóstico de TDAH. Além disso, a definição de TDAH não é tão ampla quanto no sistema americano, que na minha opinião, tende a “patologizar” muito do que seria um comportamento normal da infância. O DSM não considera causas subjacentes. Dessa forma, leva os médicos a diagnosticarem como TDAH um número muito maior de crianças sintomáticas, e também os incentiva a tratar as crianças com produtos farmacêuticos.
 
A abordagem psico-social holística francesa também permite considerar causas nutricionais para sintomas do TDAH, especificamente o fato de o comportamento de algumas crianças se agravar após a ingestão de alimentos com corantes, certos conservantes, e / ou alérgenos. Os médicos que trabalham com crianças com problemas, para não mencionar os pais de muitas crianças com TDAH, estão bem conscientes de que as intervenções dietéticas às vezes podem ajudar. Nos Estados Unidos, o foco estrito no tratamento farmacológico do TDAH, no entanto, incentiva os médicos a ignorarem a influência dos fatores dietéticos sobre o comportamento das crianças.
 
E depois, claro, há muitas diferentes filosofias de educação infantil nos Estados Unidos e na França. Estas filosofias divergentes poderiam explicar por que as crianças francesas são geralmente mais bem comportadas do que as americanas. Pamela Druckerman destaca os estilos parentais divergentes em seu recente livro, Bringing up Bébé. Acredito que suas idéias são relevantes para a discussão, por que o número de crianças francesas diagnosticadas com TDAH, em nada parecem com os números que estamos vendo nos Estados Unidos.
 
A partir do momento que seus filhos nascem, os pais franceses oferecem um firme cadre – que significa “matriz” ou “estrutura”. Não é permitido, por exemplo, que as crianças tomem um lanche quando quiserem. As refeições são em quatro momentos específicos do dia. Crianças francesas aprendem a esperar pacientemente pelas refeições, em vez de comer salgadinhos, sempre que lhes apetecer. Os bebês franceses também se adequam aos limites estabelecidos pelos pais. Pais franceses deixam seus bebês chorando se não dormirem durante a noite, com a idade de quatro meses.
 
Os pais franceses, destaca Druckerman, amam seus filhos tanto quanto os pais americanos. Eles os levam às aulas de piano, à prática esportiva, e os incentivam a tirar o máximo de seus talentos. Mas os pais franceses têm uma filosofia diferente de disciplina. Limites aplicados de forma coerente, na visão francesa, fazem as crianças se sentirem seguras e protegidas. Limites claros, eles acreditam, fazem a criança se sentir mais feliz e mais segura, algo que é congruente com a minha própria experiência, como terapeuta e como mãe. Finalmente, os pais franceses acreditam que ouvir a palavra “não” resgata as crianças da “tirania de seus próprios desejos”. E a palmada, quando usada criteriosamente, não é considerada abuso na França.
 
Como terapeuta que trabalha com as crianças, faz todo o sentido para mim que as crianças francesas não precisem de medicamentos para controlar o seu comportamento, porque aprendem o auto-controle no início de suas vidas. As crianças crescem em famílias em que as regras são bem compreendidas, e a hierarquia familiar é clara e firme. Em famílias francesas, como descreve Druckerman, os pais estão firmemente no comando de seus filhos, enquanto que no estilo de família americana, a situação é muitas vezes o inverso.

 

Hipnoterapia - Terapia Alternativa

 
Fonte -
http:/www.pragmatismopolitico.com.br/2013/05/deficit-de-atencao-nas-criancas-francesas.html
 
 
 

sábado, 2 de maio de 2015



Hipnoterapia - Terapia Alternativa

Daniella Terbeck  Zanicoski Sergio

Hipnóloga Condicionativa 
(48) 9906 71 82 9 (whatsApp)

" A maior conquista da vida é estar em PAZ !




sexta-feira, 1 de maio de 2015

"Como as estrelas na Terra, toda criança é especial" .


Passo aqui para registrar e dividir, com pais e professores, a temática abordada no filme "Como as estrelas na Terra, toda criança é especial" . O filme chamou muito minha atenção quando trabalhado na disciplina de Psicomotricidade  - especialização em psicopedagogia clínica.

O filme irá tocar seu coração e fará compreender a realidade de muitas crianças no espaço escolar, nas relações familiares e sociais.

Você pode fazer a diferença na vida de uma criança, assista!!

Trechos para você se encantar e refletir...

 
video


video



Fica a dica e, caso tenha dúvidas ou queira saber mais, procure um psicopedagogo. Ele irá orientá-lo da melhor forma possível.


Comente... Sugira... Repasse....

Quanto mais pessoas tiverem as informações corretas, mais crianças, famílias  e profissionais da educação serão beneficiados e conseguirão melhor qualidade de vida.



" A maior conquista da vida é estar em PAZ "
Hipnoterapia - Terapia Alternativa